O Brasil na Copa do Mundo de 1950

Autor: 
MBPress

Em 1950, a Copa do Mundo voltava a ser realizada após um intervalo de 12 anos. Em 1946 foi decidido que o Brasil seria a sede da competição. Com isso, a seleção brasileira garantiu vaga na competição sem precisar disputar as eliminatórias. A equipe era cotada entre as favoritas e mostrou um belo futebol em campo. Porém, no jogo decisivo foi surpreendida pelo Uruguai. O Maracanã, com quase 200 mil pessoas, ficou em silêncio com o 2 a 1 para o time celeste. E o fato entraria para a história com o nome de Maracanazzo.  

A seleção brasileira era treinada por Flávio Costa. O assistente-técnico era Vicente Feola, o mesmo que comandaria a equipe no inédito título oito anos depois. A safra de jogadores era considerada boa e o bairrismo, que prejudicou o selecionado nas edições anteriores, já era bem menor. Com isso, muitos acreditavam que a primeira conquista estava próxima.

Flávio Costa convocou para a disputa 22 jogadores. Foram eles:

Barbosa (Vasco)
Castilho (Fluminense)
Augusto (Vasco)
Juvenal (Flamengo)
Nene (Internacional)
Nilton Santos (Botafogo)
Bauer (São Paulo) Danilo (Vasco)
Bigode (Flamengo) Eli ( Vasco)
Rui Campos (São Paulo) Noronha (São Paulo)
Friaça (São Paulo) Alfredo (Vasco)
Zizinho (Bangu) Maneca (Vasco)
Ademir de Menezes (Vasco) Baltazar (Corinthians)
Jair da Rosa Pinto (Palmeiras) Adãozinho (Internacional)
Chico (Vasco) Rodrigues (Palmeiras)

O Brasil atuava em um esquema bastante ofensivo, o 2-3-5. O time base era: Barbosa; Augusto, Juvenal, Bauer, Danilo; Bigode, Friaça, Ademir de Menezes, Zizinho; Jair e Chico. Os atacantes Maneca e Baltazar e o meia Noronha atuaram em algumas partidas.