Como funciona o doping

Autor: 
Craig Freudenrich, Ph.D.

Selo HowStuffWorks

Normalmente quando têm início os Jogos Olímpicos ou os Jogos Pan-Americanos, ouvimos notícias sobre atletas usando drogas ou sendo testados para detecção de drogas para aumentar o desempenho esportivo. O mesmo acontece a cada edição da Volta da França (ciclismo). Às vezes, competidores levantam a questão quando alguém se sai muito bem. Outras vezes, os testes flagram atletas com sinais de uso de drogas.

O uso de substâncias artificiais ou métodos para aumentar o desempenho atlético é chamado de doping. Isso se tornou uma preocupação tão grande, que os Estados Unidos criaram uma Anti-Doping Agency (em inglês).

Vejamos porque alguns esportistas tomam drogas, quais os principais tipos de drogas, seus efeitos colaterais e como seu uso é detectado.

Doping

O COB e o antidoping nos Jogos Olímpicos de 2008

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) já disponibilizou a nova versão da cartilha “Uso de Medicamentos no Esporte”, com a lista de substâncias e métodos proibidos pela Agencia Mundial Antidoping (WADA), entre outras informações. A publicação tem como objetivo orientar para os perigos do doping, provendo uma série de informações relevantes e servindo de suporte para os atletas brasileiros se prepararem para os Jogos Olímpicos de Pequim e as demais competições de 2008. Visando ao controle preventivo da Delegação Brasileira que representará o país em Pequim, o COB realizará cerca de 600 exames antidoping com todos os atletas classificados ou com chances de integrar a delegação brasileira.

Com o intuito de facilitar o entendimento por parte do atleta, a cartilha utiliza o nome dos medicamentos proibidos, um avanço em relação à cartilha da WADA, que cita apenas o nome cientifico da substância. A cartilha será enviada em sua versão impressa para todas as Confederações Olímpicas Nacionais.

Após o envio das cartilhas para as confederações, o COB iniciará os testes preventivos em cerca de 600 atletas classificados ou com chance de qualificação para os Jogos Olímpicos de Pequim. Os exames estão previstos para acontecer entre maio e julho e serão programados pelo Departamento Técnico do COB. A entidade informará a data e o local onde os atletas estão treinando para que sejam distribuídos os kits de controles. Os kits serão fornecidos pelo COB e os exames analisados pelo LADETEC, no Instituto de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O desenvolvimento de uma cultura antidoping no esporte brasileiro é baseado em três conceitos: educação, instrução e prevenção. O Comitê Olímpico Brasileiro começa a preparar os atletas nas Olimpíadas Escolares, através de palestras e da distribuição de cartilhas para os jovens, fazendo uma promoção de valores saudáveis e éticos do esporte, caracterizando assim a fase da educação. Posteriormente, através de textos impressos e veiculados pelo site do COB, os atletas são informados dos medicamentos ou substâncias que podem ou não ser ingeridos, que consiste na fase de instrução. Por último é realizado o controle prévio nos atletas que representam o país.

Clique aqui e baixe a versão 2008 da cartilha sobre o uso de medicamentos no esporte.