Aumentando massa muscular e força

Autor: 
Craig Freudenrich, Ph.D.

As substâncias utilizadas por esportistas para aumentar o volume de massa corporal e aumentar o desempenho são:

  • esteróides anabólicos
  • agonistas beta-2
  • gonadotrofina coriônica humana (hCG)
  • hormônio luteinizante (LH)
  • hormônio do crescimento humano (hGH)
  • fator de crescimento similar à insulina (IGF-1)
  • insulina

Esteróides anabólicos
O esteróide é uma substância química derivada do colesterol. O corpo tem vários hormônios esteróides. No homem, os principais são cortisol e testosterona; na mulher, estrogênio e progesterona. O esteróides catabólicos quebram tecidos e os anabólicos os constróem. Estes formam músculos e ossos, principalmente pela estimulação na fabricação de novas proteínas.

Os atletas usam esteróides anabólicos para aumentar força por meio do crescimento de novos músculos. Esse esteróides têm a estrutura semelhante ao hormônio sexual masculino, a testosterona. Sendo assim, aumentam a capacidade reprodutiva e as características sexuais secundárias masculinas, como desenvolvimento dos testículos, crescimento dos cabelos e engrossamento das cordas vocais.

Os esteróides anabólicos são, na maioria, testosterona (hormônio sexual masculino) e seus derivados. Alguns exemplos incluem:

  • testosterona
  • dihidrotestosterona
  • androstenediona (Andro)
  • dehidroepiandrosterona (DHEA)
  • clostebol
  • nandrolona

Essas substâncias podem ser injetadas ou tomadas em forma de pílulas. Os esteróides anabólicos possuem vários efeitos colaterais, incluindo:

  • icterícia e problemas no fígado, porque esses hormônios são metabolizados nesse órgão
  • alterações de humor, depressão e agressividade, porque essas drogas agem em várias áreas do cérebro

Nos homens, as concentrações excessivas desses hormônios interferem na função sexual e causam:

  • queda dos cabelos
  • infertilidade
  • desenvolvimento das mamas (ginecomastia)

Nas mulheres, as concentrações excessivas causam o desenvolvimento de características masculinas e interferem nas funções sexuais. As drogas podem:

  • estimular o crescimento de pêlos no rosto e no corpo
  • suprimir ou alterar o ciclo menstrual (em inglês), com possibilidade de levar à infertilidade
  • engrossar as cordas vocais, tornando a voz mais grave, possivelmente para sempre
  • em caso de gravidez, interferir no desenvolvimento do feto

Agonistas adrenérgicos beta-2
Quando inalados, os agonistas beta-2 relaxam o músculo liso nas vias aéreas de pacientes com asma, simulando as ações adrenalilna e noradrenalina, substâncias que são secretadas pelos nervos simpáticos. Entretanto, quando injetadas na corrente sangüínea, essas drogas podem aumentar o volume de massa muscular (efeito anabólico) e reduzir a gordura corporal (efeito catabólico). O efeito anabólico parece afetar diretamente a fabricação de proteínas nos músculos, que é independente dos efeitos nervosos ou cardiovasculares. Alguns exemplos de agonistas beta-2:

  • clenbuterol
  • terbutalina
  • salbutamol
  • fenoterol
  • bambuterol

Algumas dessas substâncias são permitidas na forma de inaladores, desde que prescritas por médicos.

Os principais efeitos colaterais incluem:

  • náuseas, dor de cabeça e vertigem, pois essas substâncias contraem os vasos sangüíneos no cérebro
  • câimbras musculares, pois contraem os vasos sangüíneos nos músculos
  • rapidez nos batimentos cardíacos ou palpitações, pois estimulam os batimentos cardíacos

Gonadotrofina coriônica humana (hCG)
A hCG é um hormônio proteico natural, produzido para o desenvolvimento do feto e detectado na maioria dos testes de farmácia para descobrir a ocorrência de gravidez. Esse hormônio estimula o desenvolvimento dos esteróides sexuais naturais masculino e feminino. O aumento nos níveis de testosterona nos homens pelo uso de hCG estimulariam o desenvolvimento dos músculos, da mesma forma que ocorre com o uso de esteróides anabólicos. O uso desse hormônio não é proibido para atletas do sexo feminino, porque nelas esse hormônio não levaria ao desenvolvimento dos músculos e pode ocorrer naturalmente, em altos níveis, se a mulher estiver grávida. Os efeitos colaterais da hCG nos homens são os mesmos dos esteróides anabólicos.

Hormônio luteinizante (LH)
O LH é um hormônio peptídeo secretado pela glândula pituitária. É importante para a manutenção dos níveis normais de testosterona nos homens e de estrogênio nas mulheres. Nelas, o aumento de LH na metade do ciclo menstrual é um indicativo de ovulação. Nos homens, o excesso de LH ou de seus derivados artificiais (Tamoxifen) aumentaria os níveis de testosterona, com os mesmos resultados dos esteróides anabólicos. Embora não existam efeitos colaterais gerais, estes seriam similares àqueles provocados pelos esteróides anabólicos.

Hormônio de crescimento humano (hGH)
O hGH é um hormônio proteico natural, produzido pela glândula pituitária. É importante para o crescimento e desenvolvimento humano normal, especialmente em crianças e adolescentes. Baixos níveis de hGH em crianças e adolescentes resultam em nanismo. Os níveis excessivos de hGH aumentam o volume de massa muscular, por meio da estimulação da síntese de proteínas, do fortalecimento dos ossos pela estimulação de seu crescimento e da redução da gordura corporal, pela estimulação da quebra das células adiposas. O uso do hGH tem se tornado cada vez mais comum, devido à dificuldade de sua detecção. Os efeitos colaterais incluem:

  • crescimento demasiado das mãos, pés e face (acromegalia), em função do desenvolvimento acelerado dos músculos e ossos nestas partes do corpo
  • crescimento de órgãos internos, especialmente coração, rins, língua e fígado
  • problemas cardíacos

Fator de crescimento similar à insulina (IGF-1)
O IGF-1, também conhecido por somatomedina-C, é uma proteína natural, que ajuda na ação do hGH. Também estimula a síntese de proteínas e reduz gordura. Níveis excessivos de IGF-1 aumentariam a massa muscular e óssea, assim como faz o hGH. Os efeitos colaterais incluem baixa taxa de açúcar no sangue (hipoglicemia) e outros similares aos causados pelo hGH.

Insulina
A insulina é um hormônio proteico natural produzido pelo pâncreas. É importante para o metabolismo de açúcares, amidos, gorduras e proteínas. É necessária para o tratamento do diabetes tipo 1. Em atletas, a insulina combinada com esteróides anabólicos ou hGH pode aumentar a massa muscular, por meio da estimulação da síntese de proteína. Os efeitos colaterais são, principalmente, baixa taxa de açúcar no sangue (hipoglicemia), associada com tremores, náuseas e fraqueza. A hipoglicemia severa pode levar ao coma e à morte.