Como funciona a ginástica aeróbica esportiva

Autor: 
Ana França

Pular, abaixar, levantar, girar, correr, dobrar e esticar – tudo é claro, ao ritmo de uma música contagiante. Esta é a ginástica aeróbica, atividade que, como o próprio nome já diz, procura aumentar a capacidade aeróbica das pessoas. E já que estamos tratando de definições – aeróbico quer dizer “com oxigênio”, ou seja, quem pratica ginástica aeróbica consegue falar, por exemplo, durante o exercício.

Todo mundo já ouviu falar em ginástica aeróbica. Afinal, desde os anos 1980 essa modalidade invadiu as academias de ginástica de todo o Brasil. Quem não quer praticar exercício ao som de um boa música e perder aqueles quilinhos indesejáveis? Só que a ginástica aeróbica não ficou restrita às academias. Por ser tão motivadora ela cativou também aqueles que gostam de competir – e assim surgiu a ginástica aeróbica esportiva, ou simplesmente GAE como é conhecida entre seus praticantes. E o Brasil já é o segundo país do mundo em número de praticantes – cerca de 500 mil.

Ginástica Aeróbica Esportiva
Cortesia da Federação Internacional de Ginástica

A ginástica aeróbica esportiva também se caracteriza por ser uma atividade alegre. Só que aqui os praticantes – agora atletas – precisam aliar força e flexibilidade com ritmo e coordenação. Em menos de dois minutos de apresentação os atletas – que se apresentam sozinhos ou não – precisam mostrar aos juízes habilidades de saltos, resistência, equilíbrio e muita, muita criatividade.

Seja como for, a GAE veio para ficar. Atualmente essa modalidade de ginástica é tão importante quanto a artística ou rítmica, por exemplo, já que todas estão sob a guarda da Federação Internacional de Ginástica. A briga agora é por torná-la modalidade olímpica.

Nas próximas páginas, conheça um pouco sobre a história da ginástica aeróbica esportiva e suas regras.