Regras da ginástica artística

Autor: 
MBPress

As provas na ginástica artística são divididas em séries, que são avaliadas por nove árbitros. Dois deles avaliam o valor da partida do atleta enquanto os outros avaliam a execução dos movimentos. Um último árbitro comanda a banca.

Os ginastas recebem duas notas. A primeira é de acordo com a dificuldade da série apresentada pelo atleta, e a segunda é dada de acordo com a execução da série, sendo descontados possíveis erros.

As provas são diferentes para homens e mulheres. Os homens realizam as provas da barra fixa, das barras paralelas e o cavalo com alças. No feminino as provas são barras assimétricas e trave de equilíbrio. Tanto homens e mulheres executam o solo e o salto, sendo que, para homens, esta última é sobre uma mesa a 1,35 m de altura e, para as mulheres, sobre uma mesa a 1,25 m de altura.

Conheça como funciona cada uma das provas:

Salto sobre cavalo: é disputado por homens e mulheres. Nele, os atletas correm por uma pista, pulam em um trampolim, apóiam-se no cavalo (aparelho da ginástica) e fazem movimentos no ar antes de tocarem o chão no outro lado do equipamento. O atleta deve avisar qual salto irá realizar antes de executá-lo, para que seja estabelecido o valor de partida.

Cavalo com alças: somente disputada por homens. Nela, os ginastas devem tocar apenas nas alças do equipamento (que precisam ser paralelas e estar fixadas verticalmente na superfície do aparelho) com as mãos, sem tocar no cavalo, fazendo movimentos circulares com o corpo. 

Ginástica artística
Crédito: Raquel Boari/MBPress

Argolas: também disputada apenas entre os homens. É considerada a prova masculina mais difícil, pois o atleta é obrigado a ficar pelo menos dois segundos em posição vertical ou horizontal ao solo, e as argolas não podem se mexer durante a apresentação. Como elas ficam ao alcance das mãos dos ginastas, não há nenhum tipo de equipamento que os auxilie a iniciar o exercício.
 
Barra fixa: mais uma prova disputada somente na categoria masculina. Nela, o ginasta tem de se movimentar segurando uma barra fixa, não podendo ficar parado durante a apresentação, sob o risco de ser penalizado com a perda de pontos.

Barras paralelas: disputada somente por homens. Nela, o ginasta deve se apoiar em duas barras paralelas, mas só pode realizar movimentos com uma das mãos tocando as barras.

Trave: disputada somente por mulheres. É considerada a prova feminina mais complicada. Nela, as ginastas ficam em pé e têm de andar sobre uma barra mais larga, devendo executar movimentos sem cair da mesma.

Barras assimétricas: duas barras são posicionadas de forma paralela, e a ginasta deve se movimentar entre elas. Elas iniciam a execução das acrobacias com um salto no trampolim e terminam com um salto no colchão. Toda a performance é avaliada.

Solo: disputada por homens e mulheres. Os homens realizam movimentos sem acompanhamento musical em um intervalo de tempo que varia entre 50 e 70 segundos. Já a apresentação feminina, cuja duração vai de 70 a 90 segundos, acontece com uma música de fundo