Tiger Woods

Autor: 
Publications Ltd.

Tiger Woods tem sido o garoto-propaganda do jogo de golfe há quase vinte anos. Isso é impressionante se considerarmos que ele tem trinta e poucos anos.

O mundo do golfe não tinha visto nada como Woods desde Jack Nicklaus, que surgiu em cena quase quatro décadas atrás.

Tiger Woods
Tiger Woods estava destinado à
grandeza desde muito pequeno.
Ele aprendeu a girar o taco
imitando seu pai, Earl.

Como Nicklaus, Woods compilou um recorde amador impressionante e o sucesso instantâneo era esperado quando ele chegou ao PGA Tour (Torneio da Associação Profissional de Golfe).

Também como Nicklaus, Tiger não decepcionou, ganhando um importante campeonato em seu primeiro ano como profissional. E como o jovem Nicklaus, Woods lançava a bola tão mais longe que os outros profissionais que parecia estar jogando um jogo diferente.

De fato, Woods provocou um impacto ainda maior no jogo de golfe do que Nicklaus. Por um lado, Woods tem sangue afro-americano (também asiático e um pouquinho de índio-americano), o que é significante porque não havia jogadores negros no circuito profissional quando ele apareceu. Ele também tem um estilo ofensivo e emocionante e um sorriso carismático.

Quando Woods está disputando um torneio, a presença do público e a audiência da TV vão às alturas. Woods tem o tipo de apelo em massa que atrai novos jogadores para o jogo, como Arnold Palmer fazia.

Se algum golfista estava destinado à grandeza desde cedo, esse é Woods. Tiger, que cresceu nos subúrbios de Los Angeles e aprendeu a girar o taco imitando seu pai, Earl, fez sua primeira incursão no driving range (área do campo reservada ao aprendizado do golfe) com apenas 18 meses de vida. Aos dois anos, ele venceu um torneio para crianças com até 10 anos e apareceu no Mike Douglas Show. Aos oito, quebrou 80 pela primeira vez. Aos 12, quebrou 70. Aos 14, ele começou a vencer os torneios juvenis nacionais para jogadores com até 17 anos.

As maiores realizações amadoras de Woods aconteceram nos eventos do USGA. Antes dele, nenhum jogador havia ganho o Torneio Amador Júnior dos EUA mais de uma vez. Woods ganhou três vezes seguidas, começando aos 15 anos (o mais jovem a ganhar o título). Ele continuou a disputar o torneio tornando-se o mais jovem campeão amador norte-americano, aos 18 anos. Quando conquistou o Amador dos EUA novamente, aos 19 e aos 20, se tornou o primeiro jogador a ganhar esse torneio três vezes seguidas.

Muitas dessas vitórias ocorreram de maneira dramática. Em sua terceira vitória no Júnior dos EUA, Woods estava dois abaixo do par e tinha mais dois buracos para jogar. Ele conseguiu birdies em ambos, e depois ganhou no primeiro buraco extra na decisão por morte súbita.

Woods conquistou seu primeiro Amador dos EUA recuperando-se de seis abaixo do par após 13 buracos numa final com 36 buracos e obtendo uma vitória de 2-up sobre Trip Kuehne. Ele conquistou seu terceiro título atacando a partir de cinco abaixo do par após 18 buracos para vencer de Steve Scott no 38º buraco.

Nessa época, Woods havia completado dois anos na Universidade de Stanford e conquistado uma vitória no Campeonato NCAA, e a especulação no mundo do golfe voltou-se para quando ele se tornaria profissional. Woods deu esse passo imediatamente após sua terceira vitória no Amador dos EUA, encorajado por muitos profissionais vitoriosos que diziam que ele já estava pronto para o Torneio e que a faculdade e o golfe amador não teriam mais interesse para ele.

A Nike imediatamente ofereceu a ele um contrato de patrocínio de US$ 40 milhões e, em seguida, a Titleist ofereceu outros US$ 20 milhões. Naquela época, muitos questionaram se Woods merecia isso, uma vez que ele ainda não havia sido testado no Torneio. Rapidamente ele demonstrou que merecia cada centavo.

Ele foi um fenômeno no sentido estrito da palavra. Mesmo seus colegas profissionais reverenciaram sua distância do tee, realizada com a eficiência de seu swing em vez da força bruta (ele tem 1,88 de altura e pesa 70 quilos). E ele levou multidões de espectadores aos campos, particularmente os jovens que, de outra forma, não se interessariam pelo golfe.

A Tigermania continuou até 1999. No final dessa temporada, Woods havia acumulado oito vitórias, incluindo vitórias nas finais de quatro eventos. Woods entrou o ano novo com sua quinta vitória consecutiva. Aquela se tornou sua melhor temporada até então, com três vitórias consecutivas nos torneios mais importantes, nove eventos totais do Torneio PGA, estabelecendo ou igualando 27 recordes no Torneio.

O final de 2000 não interrompeu os caminhos vitoriosos de Tiger. Sua vitória no Masters no início de 2001 fez dele o detentor dos títulos de todos os quatro mais importantes torneios ao mesmo tempo: o U.S. Open, o Campeonato da PGA, o British Open e o Masters. E em 2002, sua classificação em primeiro lugar nos Masters o colocou ao lado de Nick Faldo e Jack Nicklaus como os únicos homens a conseguir vencer os eventos Masters consecutivamente.

Em 2003 e 2004, Woods caiu para um nível mais mortal quando retrabalhou seu swing. Apesar de Woods não ter ganho um grande evento durante esses dois anos, ele ainda venceu seis eventos enquanto lidou com severas críticas da mídia: correram fortes boatos quanto à alegada tensão entre Tiger e seu treinador de swing, Butch Harmon.

Mas enquanto havia a especulação sobre se Tiger conseguiria voltar ao topo, ele próprio já estava se preparando para outra temporada dominante. Woods iniciou 2005 ganhando seu primeiro grande evento desde 2002, obtendo o primeiro lugar no Masters e impressionando a multidão com um chip inacreditável no buraco nº 16, em Augusta: a bola quicou no campo, quase em câmera lenta, apenas para circundar o buraco por um momento que pareceu uma eternidade antes de tinir no fundo do buraco. Woods estava de volta.

A vitória de Woods por 12 abaixo do par sobre Colin Montgomerie naquele Masters o colocou no topo do Ranking Oficial do Golfe Mundial novamente. Logo depois, Woods conquistou seu 10º título importante, vencendo o British Open por uma margem de cinco tacadas. No final de 2005, Woods havia ganho seis eventos oficiais com prêmios em dinheiro e liderou a lista financeira pela sexta vez em sua carreira.

Ao mesmo tempo em que Woods iniciou a temporada de 2006 no topo do jogo, sua vida pessoal passou por um revés devastador. Seu pai, Earl Woods, morreu em 3 de maio daquele ano após uma longa batalha contra um câncer na próstata, e Woods se despediu dos torneios e se ausentou por um período de nove meses.

Porém, não demorou muito para Woods retornar. Woods ganhou o British Open de 2006 disparando 18 abaixo do par, apenas um ponto a menos que seu recorde de 19 abaixo do par estabelecido em 2002. A emoção falou mais alto quando Woods dedicou a vitória ao seu pai.

Em 2007, somente 10 anos após sua primeira grande vitória, Tiger Woods permaneceu no topo não apenas do seu jogo, mas do mundo do golfe inteiro. O início do ano trouxe novidades sobre o abrangente domínio de Tiger no mundo do golfe: Woods anunciou que organizaria seu próprio torneio no mês de julho. O torneio baseado em Maryland que, na verdade, é organizado pela fundação homônima de Tiger, foi apelidado de AT&T National e substituiu o extinto Internacional anteriormente mantido fora de Denver. Ainda que o AT&T National não tivesse o nome de Tiger oficialmente ligado a ele, o evento ganhou fama como o "Torneio de Tiger."

Julho de 2007 significou grande mudanças para Tiger: seu torneio, o AT&T National, foi um sucesso esmagador, ele obteve o segundo lugar no U.S. Open em 17 de julho e, apenas um dia após o U.S. Open, ele e sua esposa, a modelo sueca Elin Nordegren, tiveram seu primeiro filho, Sam.

No mês seguinte, Tiger anunciou planos para projetar seu primeiro campo de golfe nos Estados Unidos: o Cliffs, um campo particular localizado nas montanhas.

Indubitavelmente, o impacto da Tigermania afetará golfistas e fãs das próximas gerações. Enquanto Michael Jordan ainda é o atleta mais famoso do mundo, Jordan pode ser conhecido em breve como o "Tiger Woods do basquete".

Para mais informações sobre golfe, consulte: