Os atletas

Autor: 
Ana França

Ao longo de toda a história dos Jogos Olímpicos cerca de 100 mil atletas já disputaram o evento, que é, sem dúvida, a concretização de um sonho para a grande maioria deles, seja qual for a modalidade em questão.

Chegar lá não é para qualquer um e nem todos podem participar. Os comitês organizadores restringem o número de participantes por edição de acordo com a estrutura do local e decisões administrativas do COI. A edição de Pequim, em 2008, estipulou, por exemplo, um número máximo de 11.990 atletas.


COI
Michael Phelps (centro) conquistou 8 medalhas em Atenas

Porém, não é o comitê organizador que decide se o atleta vai ou não participar dos Jogos. Tudo depende de sua “classificação”. As federações internacionais que regem cada um dos esportes estabelecem, por sua vez, os seus critérios de classificação. São elas que determinam o tamanho da chave bem como o número de países participantes. E, como já é de se esperar, há variações entre os esportes.

As mulheres e os Jogos

As mulheres só participaram pela primeira vez dos Jogos Olímpicos, na edição de 1928, realizada em Amsterdã. Ao todo, 290 mulheres foram inscritas e disputaram as provas de atletismo.

Algumas federações realizam torneios pré-olímpicos no ano que antecede aos Jogos, premiando os campeões com vagas garantidas nos Jogos. Outras garantem vaga aos campeões de grandes eventos internacionais como os Jogos Pan-americanos, por exemplo. Outras ainda, utilizam o critério tempo, como são os “índices” na natação. Neste último caso, o atleta mesmo garante a sua vaga.

Nos exemplos acima, mais comuns em esportes coletivos como basquete e futebol, o atleta garante a vaga do time e não a sua! Se ele será ou não convocado para os Jogos dependerá, entre outras coisas, de seu desempenho no momento da convocação.

A verdade é que, os atletas são os principais propagadores do espírito olímpico. E nos Jogos Olímpico, o olimpismo está no ar, seja na vila onde os atletas se hospedam ou dentro das quadras, ginásios, pistas, piscinas ou campos.

Entre os atletas que se consagraram como grandes medalhistas em Jogos Olímpicos, destaque para:

- o nadador americano Michael Phelps, que conquistou oito medalhas de ouro em Pequim e se consagrou como o maior atleta olímpico de todos os tempos;

- o ginasta soviético Aleksandr Dityatin, que também obteve oito pódios em Moscou-1980;

- a ginasta romena Nádia Comaneci, que conquistou cinco medalhas de ouro e a primeira a receber uma nota dez;

- o norte-americano Mark Spiz, que conquistou sete medalhas de ouro  durante os Jogos Olímpicos de Munique, em 1972.

O COI disponibiliza uma consulta online de todos os atletas que já foram medalhistas em Jogos Olímpicos. Clique aqui , digite o nome do atleta e busque as informações que você deseja.

Hall da fama do Brasil

- O velejador Torben Grael é o atleta brasileiro que mais conquistou medalhas olímpicas – 5 no total, sendo duas de ouro, duas de bronze e uma de prata.

- O Brasil possui seis atletas bicampeões olímpicos: Adhemar Ferreira da Silva (atletismo), Torben Grael (vela), Marcelo Ferreira (vela), Robert Scheidt (vela), Giovane Gavio (vôleio) e Maurício Lima (vôlei).

- As primeiras atletas do Brasil que conquistaram medalhas olímpicas foram as jogadoras de vôlei de praia, Jaqueline e Sandra Pires, que ficaram com a medalha de ouro nos Jogos de 96 ao derrotar a dupla também brasileira formada pelas atletas Mônica e Adriana. Dá para dizer que 1996 foi o ano das atletas brasileiras – a seleção feminina de basquete ficou com a medalha de prata e a seleção de vôlei ficou com o bronze.


Imagem cedida por Photografia & Comunicação
Robert Scheidt e Torben Grael

- César Cielo conquistou a primeira medalha de ouro da natação brasileira, ao vencer os 50 m livre em Pequim.

- A judoca Ketleyn Quadros foi a primeira atleta brasileira a conquistar uma medalha em uma prova individual - o judô.

Prêmio Brasil Olímpico

O COB criou, em 1999, o Prêmio Brasil Olímpico que desde então passou a ser o símbolo máximo de reconhecimento aos atletas brasileiros, que mais se destacaram em competições realizadas no Brasil e no mundo no ano em questão. O prêmio é uma espécie de “Oscar” do esporte nacional.

Além de consagrar-se como o melhor do ano no Brasil em sua modalidade, o atleta também pode concorrer ao prêmio de melhor do ano dentre todos os esportes. Paralelamente ao prêmio para o atleta, também é concedido um prêmio para a “personalidade olímpica”, pessoa pública que muito trabalhou e contribuiu para o desenvolvimento do esporte.

O nadador Cesar Cielo, ouro nos 50 m livre e bronze nos 100 m livre em Pequim, e a saltadora em distância Maurren Maggi, também ouro em Pequim, receberam os troféus de Melhor Atleta do Ano na cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico 2008. Cielo disputou o prêmio com o ginasta Diego Hypólito e o velejador Robert Scheidt. No feminino, a disputa foi entre Maurren Maggi, a Ketleyn Quadros (judô) e Natália Falavigna (taekwondo).

Cesar Cielo e Maurren Maggi, vencedores do Prêmio Brasil Olímpico 2008
Ismar Ingber / COB
Cesar Cielo e Maurren Maggi, vencedores do Prêmio Brasil Olímpico 2008

Veja quem foram os vencedores de todas as edições:

1999 – Gustavo Kuerten e Maurren Maggi
2000 – Gustavo Kuerten e Leila
2001 – Robert Scheidt e Daniele Hypólito
2002 – Nalbert e Daniele Hypólito
2003 – Fernando Meligeni e Daiane dos Santos
2004 – Vanderlei Cordeiro de Lima e Daiane dos Santos
2005 – João Derly e Natália Falavigna
2006 – Giba e Laís Souza
2007 - Thiago Pereira e Jade Barbosa
2008 - Cesar Cielo e Maurren Maggi
2009 - Cesar Cielo e Sarah Menezes
2010 - Murilo Endres e Fabiana Murer