História

Autor: 
Ana França

Os primeiros eventos precursores do MMA datam de 648 a.C. e surgiram na Grécia. Os gregos criaram o Pankration, uma combinação de duas palavras gregas: pan, que significa tudo ou vários, e kratos, que significa força. O esporte, que era uma mistura de boxe e wrestling, logo se tornou o evento mais popular dos jogos olímpicos. Esse é o primeiro registro da existência de algo semelhante ao MMA.

O declínio do Pankration coincidiu com a ascensão do Império Romano. A luta mista deixou de ser tão popular, dando lugar a esportes como o boxe e o wrestling, que eram mais difundidos no Ocidente.

Em 1925 os combates com mistura de diferentes artes marciais voltaram ao cenário mundial graças a uma família de brasileiros. A história do moderno MMA está intimamente ligada à história da família Gracie. Carlos Gracie aprendeu a lutar judô com Mitsuyo Maeda, um japonês que vivia na mesma região. Mais tarde Carlos ensinou o esporte a seus irmãos e aos poucos foi adaptando as regras e golpes do mesmo, criando o jiu-jítsu brasileiro.


Imagem cedida por Image.net­ 


Logo Carlos abriu uma academia no Rio de Janeiro. Com o intuito de chamar a atenção para a mesma, ele inventou o “Gracie Challenge”, onde desafiava outros lutadores. Estes desafios serviam para que os Gracies promovessem sua luta, mostrando que podiam derrotar qualquer adversário, não importando a arte marcial que praticasse. Os combates ficaram conhecidos como Vale Tudo.

As lutas foram ganhando popularidade tal que passaram a ser realizadas em estádios de futebol. A idéia era mostrar que era possível derrotar qualquer adversário, seja qual fosse o seu porte físico. Os Gracies foram tão felizes em sua “empreitada” que acabaram levando a sua arte para os Estados Unidos, onde montaram uma academia e passaram a ensinar o jiu-jítsu brasileiro.

A partir de então, grandes eventos passaram a ser organizados. Em 1993 aconteceu o primeiro Ultimate Fighting Championship(UFC), vendendo 86 mil cotas de per-pay-view já na primeira edição. Na terceira edição do evento o número de cotas vendidas pulou para 300 mil.

Os primeiros UFCs tinham poucas regras, não havendo divisão de peso, limite de tempo ou equipamento de segurança. A luta ocorria em uma gaiola octogonal, chamada de “The Octagon”. A partir de então o evento foi evoluindo e hoje é, sem dúvida, um dos maiores da modalidade. Normalmente os lutadores disputam eventos menores durante cerca de 5 anos para então começarem a competir em eventos maiores como o UFC, o Pride e o K-1.

O MMA é hoje um esporte de alta performance, além de ser um verdadeiro show de entretenimento. Os limites existem, mas apenas dentro dos ringues. Fora de combate, não há limite para o número de fãs deste esporte, que triplicam a cada ano que passa.


 


Imagem cedida por Dream Stage Entertainment

Leia na próxima seção sobre os dois principais eventos do mundo: UFC e Pride.


Reality Show
O MMA está se tornando tão popular que, nos EUA existe há um bom tempo o reality show “The Ultimate Fighter”. O programa, que já está em sua quinta temporada, reúne 16 grandes lutadores em uma casa. As semelhanças com o que você conhece no Brasil terminam por aqui. Para ser eliminado, nada de votos ou prova do líder - o lance é dar literalmente muita “pancada” no adversário. O reality show pode ser acompanhado no site oficial do programa.

­