Campeonato Francês - Monaco

Autor: 
MBPress

Monaco

Nome: Association Sportive de Monaco Football Club

Apelido: Les Rouge et Blanc (Os vermelho e brancos)

Data de Fundação: 1924

Localização: Av. Des Castellans, 98 000 Monaco

Estádio: Louis II (18 500 pessoas)

Maior Artilheiro: Delio Onnis (223 gols em 280 partidas)

Principais títulos:

Campeonato Francês (7)
1961, 1963, 1978, 1982, 1988, 1997 e 2000

Copa da França (5)
1960, 1963, 1980, 1985 e 1991

Copa da Liga Francesa (1)
2003

Brasileiros na equipe:
Adriano Pereira
Nenê

* ACOMPANHE AQUI OS RESULTADOS DO CAMPEONATO FRANCÊS

O Association Sportive de Monaco Football Club foi fundado em 1924, fruto de uma união de vários clubes de atividades esportivas diferentes do Principado de Mônaco: Swimming Club, Monaco Sport, A.S. Beausoleil, Star of Monaco e Riviera A.C.

Após sua formação, o Monaco participou durante alguns anos de campeonatos regionais, tanto do principado como da França. Depois, em 1933, entrou na recém-formada Liga Profissional.

Após disputar essa primeira temporada, se retirou por estar insatisfeito com a condição a que teve que entrar na Liga, como um time monegasco e não francês. Voltou então a disputar apenas os campeonatos regionais. Formou um time bastante competitivo e, após a Segunda Guerra Mundial, em 1948, o clube voltou à Liga Profissional, dessa vez para não sair mais.

A chegada à primeira divisão francesa se deu no ano de 1953. O Monaco enfrentou times como Toulouse, AS Saint-Étienne, Le Havre AC e outros. Depois, na temporada 1955/56, a equipe decidiu alçar vôos mais altos.

Para isso, contratou nomes como Bem Tiffour, Bellot e Bahl, que fizeram o clube terminar o campeonato na terceira colocação, posição inédita em sua história. No ano seguinte, chegou ao time o defensor Raymond Kaelbel e o Monaco ficou na quinta posição, passando a ser respeitado nacionalmente.

Na temporada seguinte, o clube trouxe ainda mais jogadores, como Biancheri, Hidalgo e Roy. Infelizmente, com a guerra da Argélia, muitos dos jogadores daquele país tiveram que deixar o clube momentaneamente para participar do conflito.

Bekhloufi, Boubakeur, Chabri, Ben Tifour e Zitouni ficaram fora por vários meses. Ainda assim, o clube chegou novamente na terceira colocação do campeonato e foi até a semifinal da Copa da França, perdendo para o Nimes Olympique.

No ano de 1960, então, o clube venceu o primeiro campeonato da sua história de profissional: a Copa da França, derrotando o Saint-Étienne. Depois, coroou o bom desempenho vencendo a Liga Francesa pela primeira vez, em 1961.

Disputou ainda a primeira Copa da Europa, sem ir muito bem. Em 1963, conquistou o seu primeiro “doublé”: venceu a Liga e a Copa da França. Contudo, após um ótimo desempenho no começo da década, em 1969 o time foi rebaixado à segunda divisão.

A partir daí, iniciou uma série de quedas e acessos. Ainda assim, nesse turbulento período se destacou o atacante Delio Onnis. Italiano naturalizado argentino, Onnis é ainda o maior artilheiro da história do clube, marcando 223 gols em 280 jogos.

Desempenho esse que rendeu o terceiro Campeonato Nacional da história do clube no ano de 1978. Depois, com jogadores como Roland Courbis, Jean-Luc Ettori e Small Jean, o Monaco venceu novamente a Copa da França, em 1980. Delio Onnis então deixou o clube, colocando o seu nome na história monegasca.

O Monaco entrou na década de 1980 com um bom desempenho. Venceu a Liga Nacional em 1982 e a Copa da França, em 1985. Nesse período, estavam jogadores como Bellone, Amoros, Genghini, Bravo, Leroux, Couriol, Ettori, Amoros, Stojkovic, Simon, Bravo, Anziani, Puel, Liegeon e Tibeuf.

Depois, em 1987, o técnico Arsène Wenger chegou ao comando do time, trazendo jogadores como Hoddle, Sonor, Battiston, Fofana, Vogel, Dib, Mège, Hateley e Ferratge. Com isso, a equipe venceu a Liga Nacional mais uma vez.

Para o ano seguinte, o Monaco lançou no time profissional jovens como Emmanuel Petit e George Weah. Com os dois, a equipe chegou à final da Copa da França, além de ter passado da primeira fase de grupos da Copa dos Campeões, chegando até às quartas-de-final, quando perdeu para o Galatasaray.

Nas temporadas seguintes, o Monaco, que contava com o talento de Youri Djorkaeff, chegou na terceira posição da Liga, em 1990, e na segunda em 1991. No mesmo ano, venceu a quinta Copa da França.

Wenger saiu do clube em 1995 e, em seu lugar, chegou o ex-craque Jean Tigana. Contando com jogadores como Thierry Henry e Sonny Anderson, além de Viktor Ikpeba, Fabien Barthez e Vicenzo Scifo, o time chegou à fase final da Liga dos Campeões da Europa, perdendo nas semifinais para a Juventus, em 1997. Porém, no mesmo ano, o Monaco foi campeão francês pela sexta vez.

No ano 2000, outro título nacional, com destaque para os jogadores Sagnol, Christanval, Lamouchi, Giuly, Márquez, Gallardo, Riise, Prso e Trezeguet. Com o brilho, no entanto, vários atletas foram negociados.

Então, a diretoria passou a revelar talentos das categorias de base e a contratar jovens valores de outros clubes. Chegaram Rothen e Evra e alguns consagrados, como Morientes. Ao lado do remanescente Giuly, o time chegou à final da Liga dos Campeões de 2004, eliminando Real Madrid e Chelsea e perdendo para o Porto, por 3 a 0.

Após o vice-campeonato, os atacantes Giuly e Morientes foram negociados e o desempenho do clube não foi o mesmo, com algumas temporadas nas posições mais baixas da tabela.