Regras

Autor: 
MBPress

O objetivo das duas equipes, de cinco integrantes cada, é colocar a bola dentro da cesta adversária. A partida é disputada em quatro quartos de dez minutos cada, e o ganhador será o conjunto que marcar mais pontos ao fim do período. Caso haja empate, serão jogados tempos extras de cinco minutos até que algum dos times vença o confronto.

Existem três tipos de pontuação em uma partida de basquete. Uma cesta marcada a uma distância maior que 6,25 m do aro vale três pontos (há uma marcação na quadra conhecida como linha de três pontos, que caracteriza o espaço). Já uma cesta marcada a uma distância menor que 6,25 pontos - dentro da linha de três, portanto, vale dois pontos. Por fim, uma cesta marcada em uma cobrança de lance-livre vale apenas um ponto.


Imagem cedida pelo Comitê Olímpico Brasileiro
Crédito: Wander Roberto/COB/Divulgação

A partida de basquete começa sem sorteio de posse de bola. Ao contrário do que acontece na maioria dos outros esportes, o início do confronto acontece com o juiz lançando a bola para o alto, enquanto os jogadores de maior estatura de ambos os conjuntos assumem a responsabilidade de disputá-la no ar.

Por se tratar de um esporte de muito contato, as regras de condução e tempo de permanência com a bola são muito rígidas. Um jogador só pode caminhar com a bola caso esteja driblando (batendo a bola no chão). Por outro lado, a bola só poderá ser segura quando o atleta estiver avançando em direção à cesta, seja para fazer a bandeja (lance em que o jogador se projeta para a cesta e arremessa muito próximo ao aro) ou dar um passe para um companheiro.

Além disso, o ataque de uma equipe não pode permanecer com a posse de bola por mais de 24 segundos. O setor ofensivo de um time também deve passar ao campo de ataque no máximo oito segundos após ter recebido em seu campo de defesa. Há, ainda, limitações individuais de tempo. Um atleta não pode ficar mais de três segundos dentro do garrafão adversário. Quando marcado de perto, um jogador não pode ficar mais de cinco segundos sem passar, driblar ou arremessar.

Caso qualquer uma dessas regras de permanência com a bola seja infringida, a posse será invertida, mas não haverá anotação de falta. As infrações mais comuns do basquete acontecem quando um jogador faz um contato ilegal com o adversário. No momento de um arremesso, por exemplo, um atleta de defesa tem de tomar cuidado com a forma de marcação, pois caso venha a encostar no braço do adversário, terá cometido uma falta pessoal. O jogador que sofreu a falta, então, deverá cobrar lances livres (cobrança de uma falta da entrada do garrafão sem qualquer impedimento de adversários) quando a equipe infratora tiver mais de quatro faltas no período. Um jogador que tenha marcado cinco faltas em uma mesma partida estará excluído do confronto.

Existem, também, outros dois tipos básicos de falta: a técnica e a antidesportiva. A primeira acontece quando não envolve uma infração de contato, mas questões comportamentais, como, por exemplo, desrespeito aos juízes. Já a antidesportiva ocorre, como o próprio nome diz, quando um jogador toma uma atitude desleal, como jogar a bola de maneira proposital sobre um adversário.

Caso um jogador arremesse, sofra a falta durante a trajetória da bola e a mesma entre no aro, a cesta será validada e o atleta ainda ganhará um lance livre para tentar o ponto de bonificação.
Um aspecto interessante da modalidade é que o estouro do tempo não impede que uma cesta ocorra. Quando, por exemplo, um atleta arremessa, mas o cronômetro encerra a partida durante a trajetória da bola e mesmo assim ela entra no aro, a cesta é validada.