A bola, o campo e os jogadores de rugby

Autor: 
Ana França

bola
International Rugby Board

Bola

A bola de rugby tem um formato oval e é feita de couro ou de material sintético.  Seu comprimento varia de 28 a 30 cm e a sua circunferência total fica entre 74 e 77 cm. A bola pesa entre 410 e 460 g e sua pressão fica entre 65,71 e 68,75 kPa.

Ela é normalmente branca, mais larga e mais pesada que a bola de futebol americano (de cor geralmente laranja).

Campo

O campo de rugby tem um formato retangular com comprimento e largura máximos de 144 e 70 metros, respectivamente. Preferencialmente o campo deve ser de grama natural – não é permitido o jogo em superfície dura como asfalto ou concreto.

A linha de meio de campo separa os dois lados. Além desta existem outras quatro linhas no campo – uma de 10 e uma de 22 metros em cada lado. Os postes ficam na in-goal area e têm o formato da letra H, com travessão de 3 metros de altura em relação ao sol e traves verticais distantes entre si 5,6 metros.

Confira abaixo todas as medidas de um campo oficial de rugby.

campo
© 2009 ComoTudoFunciona

goal
© 2009 ComoTudoFunciona

Jogadores

Engana-se quem pensa que para ser um bom jogador de rugby é preciso ter mais de dois metros de altura e pesar acima de 100 kg. Apesar de este ser um esporte de muito contato, há espaço para todos os tipos físicos, que são aproveitados em campo buscando sempre o melhor desempenho individual.

Desta maneira sabemos que os forwards, responsáveis pela recuperação da posse de bola, são tradicionalmente maiores e mais fortes. Por outro lado eles são menos rápidos.  Já os backs precisam correr por todo o campo e por isso são menores e mais ágeis.

 

Equipamentos dos jogadores

O principal equipamento é um bom par de chuteiras com
cravos. Elas são necessárias para a tração que o jogador necessitará em
situação de contato. É recomendável também o uso de protetor bucal. Já
a utilização de equipamentos acolchoados como ombreiras, protetores de
tórax e capacetes devem seguir as normas da IRB – International Rugby
Board.

Ao contrário do futebol, no rugby as posições são definidas pelos números nas camisetas.  Os jogadores dividem-se então em duas funções principais: no time, ou você é um forward ou um back.  As posições que apresentamos abaixo são as aplicadas na modalidade Seven que é a modalidade que estará valendo nos Jogos Olímpicos de 2016.

Seven
© 2009 ComoTudoFunciona
Posições dos jogadores no Rugby Seven

 - Pilares (1 e 2)
São normalmente os jogadores mais fortes e resistentes uma vez que, junto com o Hooker (4) formam a linha de frente do scrum (leia mais sobre as regras na próxima página). Geralmente os pilares (pilar esquerdo – loosehead prop, e o pilar direito – tighhead prop) têm altura parecida.

- Hooker (4)
Também conhecido por “talonador” o hooker possui características físicas semelhante às dos pilares, já que também compõe a linha de frente. O hooker, porém, tem duas grandes funções: é ele que obtém a posse de bola no scrum, além de ser o responsável por lançar a bola para o line-out lateral.

- Scrum-half (meio-scrum) (3)
É o jogador mais importante para o desenvolvimento do jogo uma vez que faz a ligação entre a linha e os forward. Sua principal tarefa é obter a bola de seus forwards e enviá-la aos backs. Para ser um bom scrum-half é preciso dominar muito bem todos os tipos de passes.

- Abertura (5)
Ele é o cérebro da equipe uma vez que toma as decisões de linha. Todas as bolas da linha passam por ele. É preciso ter muita visão de jogo já que o jogador que está nesta posição é quem decide se o time vai defender ou atacar, chutar ou passar a bola, etc. É o jogador mais marcado pelo time adversário.

- Centro (6)
Este jogador está sempre sob pressão, seja no ataque ou na defesa. Deve ser muito bom passador, já que a bola passa pelo jogador central para chegar ao ponta.

- Ponta (7)
O ponta é normalmente quem marca o try. Este jogador é ágil e muito veloz e por isso é menor fisicamente que os outros jogadores do time.

Os jogadores substitutos

Na modalidade Seven há sempre três jogadores substitutos. As
substituições são, normalmente, permanentes, isto é, uma vez
substituído o jogador não volta ao campo. A única exceção é a chamada
“blood substitution”. Neste caso o jogador pode voltar ao campo para
substituir outro que está sangrando.